Ads 468x60px

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Guto Silva participa da entrega de cardiotocógrafo ao Hospital S.Lucas

 O deputado estadual Guto Silva (PSD) participou, nesta quinta-feira (04) da assinatura, pelo governador Beto Richa e secretário de Estado da Saúde, Michelle Caputo, do termo de cessão de um cardiotocógrafo ao Hospital São Lucas, obtido através do seu instituto.

                “O Hospital está recebendo mais esse equipamento porque é uma referência na atenção pré-natal e pediatria. Fico feliz em poder participar desse processo desde o início, seja no reconhecimento de utilidade pública do Instituto – para que o hospital possa receber recursos públicos e ampliar o atendimento pelo SUS – seja no atendimento a cada demanda por mais equipamentos”, afirmou o parlamentar. O cardiotocógrafo é utilizado na monitoração da gestação durante as fases que antecedem o parto, através da visualização dos batimentos cardíacos e do acompanhamento da contração uterina e dos movimentos fetais.
A assinatura do termo ocorreu durante o 6º Encontro da Rede Mãe Paranaense, que acontece em Curitiba. Mais de 1.600 pessoas participam do evento, entre gestores, médicos, enfermeiros e outros profissionais ligados à atenção materno-infantil, dos 399 municípios paranaenses. “O governador determina, o secretário executa, mas são todos vocês que tornam realidade as políticas públicas de Saúde”, ressaltou Guto ao destacar números que registram atualmente o menor índice de mortalidade infantil da história da saúde pública do Paraná. O índice é de 10,49 mortes de bebês a cada mil nascidos vivos, na média do Estado.

                Desenvolvido pela Secretaria de Estado da Saúde, o programa Mãe Paranaense recebeu, em seis anos, investimento de mais de R$ 630 milhões. Hoje 160 maternidades e hospitais integram a Rede, sendo que 30 deles são referências em gestação de alto risco.

Foram implantados 18 Centros Mãe Paranaense. Nas regiões onde não há Centro, as gestantes e bebês são atendidos em ambulatório hospitalar. “Portanto, todas as 22 regionais de saúde dispõem de atendimento especializado”, disse o secretário da Saúde, Michele Caputo Neto. “Graças a um trabalho contínuo, que envolve capacitação, estruturação, apoio aos hospitais e maternidades, atingimos a menor taxa de mortalidade infantil da história do Paraná”, afirmou.

As ações salvaram 800 vidas. A projeção é de que 634 bebês e 182 gestantes poderiam ter morrido, caso o Estado mantivesse os índices de mortalidade de 2010.

 Assessoria de Imprensa – Deputado estadual , vice-presidente da Assembleia Legislativa, Guto Silva (PSD) c/ Agência Estadual de Notícias

Fotos assinatura: Rodrigo Morosini

0 comentários:

Postar um comentário

 
© VEJA PATO BRANCO - O Site Da Nossa Terra - 2013. Todos os direitos reservados.
Criado por: Rede Tech Informática.

Exibir mapa ampliado