Ads 468x60px

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Pato Branco ganha curta-metragem com imagens históricas

Os Institutos Prosdócimo Guerra e Theóphilo Petrycoski apresentaram na noite de quarta-feira (15), em primeira mão no gabinete municipal, um curta-metragem de caráter histórico, com imagens inéditas de Pato Branco, feitas pelo prefeito Harry Valdir Graeff entre os anos de 1957 e 1958. Os idealizadores do projeto, empresários Ricardo Guerra e Claudio Petrycoski, apresentaram o material ao prefeito Augustinho Zucchi, simbolizando o lançamento do filme para todos os pato-branquenses, uma vez que o acesso e a distribuição do mesmo estão liberados e, inclusive, já ocorrem nas redes sociais.


O filme foi gravado com uma câmera 8 milímetros e possui imagens coloridas – algo muito raro nos anos 50. A peculiaridade aumenta se considerarmos a história das filmagens. De acordo com Ricardo Guerra, que buscou informações com a esposa de Graeff, dona Deisi, o prefeito adquiriu o equipamento de um alemão que estava na cidade e precisava de dinheiro para retornar ao seu País. Graeff, então, comprou a câmera que, na ocasião, tinha filmes coloridos. A partir daí, ele começou a registrar eventos da cidade e momentos da família.

Além de raros e valiosos para a época, esse tipo de filme, em cores, exigia um processo de revelação, em película, feito apenas no exterior. Por isso, Graeff nunca viu as imagens que registrou, tampouco a sua família teve acesso às cenas.  O resgate das imagens foi feito apenas recentemente, em São Paulo, por meio da iniciativa de Ricardo Guerra e Claudio Petrycoski – o que levou certo tempo, pois os filmes estavam comprometidos em virtude dos anos em que permaneceram guardados.

“Quando vi as imagens, antes de retornar a Pato Branco, fui direto a Porto Alegre, onde mora a dona Deisi, e mostrei a ela o material. Ela ficou muito emocionada por rever as imagens da sua casa, seu pai, sua mãe, as filhas e o marido, ainda jovem”, conta Ricardo. 

No curta-metragem, que possui pouco mais de 19 minutos, é possível ver, com clareza, as primeiras casas de Pato Branco, a inauguração do Aeroporto Juvenal Cardoso, as principais ruas da cidade em terra batida, como a avenida Tupi e a rua Tocantins, os primeiros traços da urbanização da praça Presidente Vargas, um desfile cívico, entre outras curiosidades, inclusive imagens de Dois Vizinhos, que na época pertencia a Pato Branco e, naquele momento, inaugurava sua primeira escola.

“Graeff foi um prefeito visionário, responsável por grandes obras de urbanização da nossa cidade. Reformulou a praça, inaugurou o aeroporto e, por isso, muito do que vivemos hoje foi fruto da sua gestão. Nessas imagens, estão nossos bisavôs, avós, crianças que hoje têm mais de 60 anos. São as pessoas que construíram a nossa cidade e, agora, estão sendo homenageadas”, destacou Ricardo.

Para Claudio Petrycoski, o prefeito Graeff tinha visão de futuro. “Essa é uma bonita homenagem, que também reverencia as famílias pioneiras e demonstra, sobretudo, a importância de gestores como Graeff, que vislumbraram o futuro da cidade”, comentou.

O prefeito Augustinho Zucchi evidenciou que o vídeo convida a um passeio pela história, em que emociona pela sensibilidade e homenagem àqueles que construíram a cidade. “Preservar a memória é ter a concretude do futuro. Pato Branco é uma cidade diferenciada, que se destaca no País. Isso é fruto do trabalho e propósito das famílias pioneiras, que nos deixaram esse legado, que continua sendo vivenciado hoje, por todos nós. Precisamos, cada vez mais, de iniciativas como essa, que resgatam e valorizam a nossa história”, ressaltou Zucchi, lembrando que o Município pretende estruturar um museu histórico para prosseguir com projetos neste sentido.

Harry Valdir Graeff foi prefeito de Pato Branco de 1956 a 1960. Natural de Candelária, Rio Grande do Sul, chegou a Pato Branco em 1948. Médico psiquiatra, ele construiu o segundo hospital da cidade, situado no alto da rua Tocantins. Ele também fez parte da primeira legislatura da Câmara Municipal, como 2º presidente. Faleceu em 26 de agosto de 1998, em que suas cinzas foram enterradas junto ao bosque do Parque de Exposições.

O lançamento do curta-metragem contou com a presença dos presidentes dos Institutos Prosdócimo Guerra e Theóphilo Petrycoski, Aldir Vendruscolo e Valdir Petrycoski, respectivamente, além do vice-prefeito, Robson Cantu, da secretária municipal de Educação e Cultura, Heloí Aparecida De Carli, da diretora do Departamento Municipal de Cultura, Eliane Gauze, da diretora da Escola Municipal Rocha Pombo, Diane Cristina Pissinin, da historiadora Sueli Rosa Dartora, profissionais da imprensa, entre outros pato-branquenses. No final, os presentes receberam cópias do vídeo, em pendrives, para distribuição e compartilhamento público do material.

Texto e foto: Assessoria

0 comentários:

Postar um comentário

 
© VEJA PATO BRANCO - O Site Da Nossa Terra - 2013. Todos os direitos reservados.
Criado por: Rede Tech Informática.

Exibir mapa ampliado